terça-feira, janeiro 29, 2008

Danço uma valsa descontínua

Em pensamentos que se perdem



E sorrio...



Pouso suavemente

Na delicada flor que o meu amor É



E sorrio...


Um doce beijo minha amada

Sua
Valsa-Lenta

5 comentários:

ângela marques disse...

Obrigada pela visita, Valsa. Óptima oportunidade para descobrir este recanto de encanto.

Beijo

Maria disse...

Melhor, assim......
Doçura e suavidade......

Um abraço

Valsa Lenta disse...

Ângela Marques

Agradeço a visita e seja sempre bem-vinda.
Felicidades


Maria

palavras simples... mas, sábias e verdadeiras.
Felicidades

João Moreira disse...

Doce poema de amor.

Valsa Lenta disse...

Obrigada, João Moreira.
Sim... é um "doce poema de amor".

Felicidades