sexta-feira, agosto 08, 2008

Doce Mulher Minha


Passo minhas mãos nos seus cabelos cor de trigo
Mergulho na paz nos seus olhos cor de mar
Segredo ao seu ouvido
Pequenos murmúrios de amor.

Não tenha medo doce querida… estou aqui!

Deixe para trás a frenética engrenagem desta sociedade que nos condena, que nos aponta como aberrações… só e apenas por nos amarmos.
Tranquilize agora um pouco no meu peito. Solte as lágrimas salgadas que a oprimem, eu as enxugarei. Não tenha medo de vacilar… estarei aqui para a apoiar. Vacilei vezes sem conta e vezes sem conta me levantei.

Feche um pouco seus olhos cansados. Visualize um belo campo de papoilas em gentis movimentos ao sabor da brisa… sou eu que lhe ofereço. Não arranque nem uma… deixe-as no seu habitat respeitando os espaços de cada uma. Não as pise… sorria-lhes mesmo que uma lágrima sua beije uma delas.

Amo-a
Sua Mulher Valsa-Lenta

P.S. – Minha querida, é bonito saber que existem mais pessoas a respeitar este campo de papoilas.

15 comentários:

Maria disse...

Bonito texto!
Não é fácil ser-se diferente, sendo igual.
A sociedade aponta tudo e todos que ousem ser diferentes, sendo iguais.
A sociedade tem medo que os seus "valores" sejam beliscados e por isso quem ouse contrariar os "bons costumes" será sempre perseguido e condenado.
Que importa tudo isto, se o importante na vida é o amor e tentar ser feliz....
Eles não percebem nada do que é a vida verdadeiramente vivida...

Um abraço

Desnuda disse...

Parece que tudo que leio hoje me emociona bastante. Este texto trouxe-me a mente um sofrido desabafo de uma amiga muito querida ontem...E fiquei muito triste por ela... Mas aqui, vejo uma declaração de amor correspondida, mesmo com todas as dificuldades. E fico feliz

Este texto é lindíssimo.


Beijos

ângela marques disse...

Respeito este campo, gosto de o visitar, abençoado seja...

Beijo

Anónimo disse...

bonjour,

je ne comprend pas le portugais...mais je vous ai découverte chez rose (un autre blog)
aimer...même caché...c'est aimer encore plus fort !
bon dimanche

Tony Madureira disse...

Olá:

todos devemos respeitar todos.


Abraço Solidário.

Presença disse...

Respeito e trago-o
.
.
.
e trazes entre maos e corações a alma deste espaço

bjo

tulipa disse...

A sociedade condena muitas vezes o que desconhece...o que é diferente.
um abraço
tulipa

Curiosa disse...

Concordo plenamente com as palavras de Tulipa.

Para além do desconhecimento (se é que o conceito de amor é desconhecido), o exercicio da compreensão é mais elaborado do que o de repúdio, logo a maioria opta pelo mais fácil.

Acima da questão de género, está o sentimento de amor...

em azul disse...

Muito bonito este campo de papoilas ao sabor da brisa.

Abraço

Sei que existes disse...

Vim a a este blog porque acabei de ler um post publicado no Sol Poente... E lá deixei este comentário que deixo aqui também:
"Como já referi diversas vezes sobre este tema da homossexualidade, o ser humano reage mal a tudo quanto é diferente das regras sem sentido criadas por uma sociedade infeliz e hipócrita, porque é ignorante, tem medo e é extremamente frustrado emocionalmente...
Lamento a prisão em que todos os homossexuais e outras pessoas vivem só por serem diferentes dos tais padrões ridiculos criados por certas sociedades,mas consigo ter ainda mais pena de quem não os aceita porque só revela a sua pequinez, cobardia, frustração e infelicidade."
Gostaria de te dizer que te valorizo muito, tal como valorizo todos os que lutam pelos seus ideais independentemente do que os outros pensam ou deixam de pensar.
Desejo que consigas atingir em pleno o teu equilibrio interior e com ele toda a felicidade que mereces!
Já agora, gostei da foto!
Beijo grande

SILÊNCIO CULPADO disse...

Valsa Lenta
O amor é o sentimento mais belo que alguém pode albergar. Este poema, de grande sensibilidade, faz-nos acreditar em sentimentos absolutos, daqueles que vencem os entraves e as guerras, a erosão do tempo e o desencanto de certas paragens.
Feliz de quem ama e é amado assim.
Beijos

LM, paris disse...

Bonjour valsa lenta,
li o seu comentàrio em casa da ângela, as palavras de Yourcenar, vao-me ajudar a agarrar, dirigir o melhor que sei, a asa levantada contra o vento...bonito e sincero estes eu poema de amor.
adorava ter une robe imprimée de coquelicots!
amitiés de Paris,
LM

Anónimo disse...

Seu peito para descansar meu peito. Seu silêncio para escutar o meu!
Um beijo doce

Desnuda disse...

Querida,


vim lhe desejar um ótimo fim de semana e um mimo que partilho com você: o prêmio Dardos.


Grande beijo

Bichodeconta disse...

Emocionada , com o olhar preso neste campo de papoilas..E os sentimentos afloram.. Que Sociedade esta que condena as pessoas pelo gesto mais singelo de amar..