quinta-feira, abril 24, 2008

Hoje estou assim... ReVoltada!


Sinto o sangue a ferver-me nas veias!
Ai que Brutos Insanos Aqueles que não souberam dirigir a Liberdade!
Quanta Desigualdade! Quantos tropeços na Liberdade e quando se equilibram trazem Desigualdade e Discriminação!

Para onde vamos?!!!
Sou Homossexual e discriminada Também! Mas, não é o que mais me preocupa!

Pessoas portadoras de deficiência que são colocadas à margem da sociedade – mesmo estando na lei que têm os mesmos direitos. E nós pessoas que nos dizemos “normais” que fazemos?! Nada! Apenas discriminamos aqueles que nada pedem em troca a não ser amor! A não ser Dignidade!

O que me preocupa são crianças abandonadas à sua sorte!
Crianças vítimas de maus-tratos – em que nem a lei os protege. Quantas destas crianças vão para instituições e o Sr.(a) Dr.(a) Juiz(a) bate na tecla em que as criancinhas devem voltar à família biológica!
Vi uma criança de 4 anos arrancar o próprio cabelo e comer cada vez que tinha a visita da mãe! Isto é que me preocupa!
Preferem que regressem às famílias ou que estejam em Instituições do que serem adoptadas por homossexuais!
Não falem daquilo que não sabem! Crianças da mesma família são afastadas nas instituições quando atingem determinada idade! Já nada lhes resta até os irmãozinhos lhe tiram!
Sou homossexual e não faço discriminação de raça, credo ou género!
Poderia adoptar uma criança em idade que muitos casais heterossexuais não querem e de raça diferente! Só tinha amor para lhes dar!

Preocupa-me a violência Doméstica!

O tráfico humano que todos sabemos que o há e que é encoberto e nada se faz!

Preocupa-me o bem-estar dos Idosos que trabalharam uma vida inteira!

Preocupa-me a Educação neste país!

Preocupa-me a Discriminação!

valsa lenta

20 comentários:

Anónimo disse...

I think your blog is very interesting. I hardly can imagine how dificult must be all. Here in Mexico being a lesbian can be a problem but I don´t think is as hard as you describe it.

Milu. From: milununayunhada@blogspot.com

RV disse...

ui, infelizmente sei bem do q fala, sei mesmo e há dias em que não se aguenta de tanta hipocrisia bem como da máquina burocrática q é o nosso sistema social e judicial, ás vezes até parece um teste á nossa paciência!
daí eu achar q o segredo está na nossa vontade em fazer as coisas por mtq elas demorem a concretizar,

coragem :)

Cöllyßry disse...

Tudo que é diferente é discriminado, e penso que o é por não terem coragem de assumir o que na verdade são...e os ditos normais são bem dificientes de mentalidade, muito mais que os proprios dificientes...o que lamento...e festeja-se a liberdade!
Iremos parar a um caus, que já anda a passos lergos...cada um já está por sua propria conta,as leis Divinas já pouco interferem, porque a Humanidade quase total nada respeita, esperemos dias bem dificeis infelizmente...

Muito bom o teu texto, e com razão a Tua revolta...

Doce beijo

SILÊNCIO CULPADO disse...

Valsa Lenta
As tuas preocupações sãos as minhas também. A discriminação e o estigma são aberrações impeditivas do ser humano se realizar e desabrochar para os afectos.
Abraço SEMPRE

anad disse...

Bom texto com palavras que descrevem um tema actual.
Gostei deste blogue. Vou voltar mais vezes.
Anad

SILÊNCIO CULPADO disse...

Valsa Lenta
Aqui passo para te acompanhar. Aqui passo porque é excelente o teu espaço.
Um dia destes tratarei no Silêncio Culpado a homossexualidade. Para já estou a desenvolver um conjunto de posts sobre o estigma.
Porque o estigma é uma aberração que fere e mata. Porque todos têm direito a ser diferentes. Porque a diferença enriquece a humanidade, vem dar também o teu contributo no texto que publiquei no SIDADANIA .
Abraço

Mari disse...

Olá!!!

Sou amiga do Profeta e te vi lá....na postagem do poema dele...escrevi o que estava sentindo e usei o texto dele., rs.
Não devemos nos sentir culpadas na vida... de nada!!!!
Devemos ser felizes....procurar o bem de todos e o nosso bem.
Desejo tudo de maravilhoso na sua vida.
Vou mandar a minha poesia predileta para você:

NÃO SEI...

Não sei... se a vida é curta...
Não sei...
Não sei...
se a vida é curta
ou longa demais para nós.

Mas sei que nada do que vivemos
tem sentido,
se não tocarmos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
colo que acolhe,
braço que envolve,
palavra que conforta,
silêncio que respeita,
alegria que contagia,
lágrima que corre,
olhar que sacia,
amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo:
é o que dá sentido à vida.

É o que faz com que ela
não seja nem curta,
nem longa demais,
mas que seja intensa,
verdadeira e pura...
enquanto durar.
Cora Coralina

Beijos
Mari.

Mari disse...

Está certa.....
Muita injustiça neste mundo!
Cansamos muitas vezes.
Hoje estou cansada..

Hoje, minha vida muda...
Em verdade, já mudou...
Estou dando-me conta disso e tentando entender o porque desta vida injusta e linda?!
Eu não sei mesmo, não sei nada.
Só queria meus sonhos,
E vejo tão distantes...
Tudo se perdeu onde tudo começou.
Enfim... não consegui mais uma vez.
Engraçado, resolvi me abrir para você!

Bem, vamos lá ser felizes, não?!

Beijos e venho te visitar.

Angel of Light disse...

Olá Valsa Lenta!

Vim aqui parar através do blog do Profeta e gostava de dizer o seguinte. Tenta compreender o que os outros sentem, pois eles só conseguem reagir assim, face a seu grau de consciência. Perdoa-os por serem assim e perdoa-te a ti mesmo por sentires essa revolta. Elimina-a, sente o teu ser interior e deixa o Amor brotar de ti. Segue a tua vida. Só assim conseguirás ser feliz,... sem mágoa, sem medo... Está bem que, por vezes, é difícil, mas quando isso acontece, tenta aprender alguma coisa de bom. Ouve sempre o teu coração. Estamos todos em aprendizagem e, há uns, em que os conhecimentos são absorvidos de forma mais lenta. Só temos de os respeitar e deixar a vida fluir. Força!

Fica em Paz.

Marta Ribeiro disse...

a revolta faz bem a alma...faz bem ao espirito


gostei de te ler...beijinho e até á proxima

Pandora disse...

A descriminação é uma coisa que me revolta também.
já uma vez publiquei no meu canto algo sobre isso. Aqui no mundo dos blogs, todos somos iguais. não vemos caras nem cores nem deficiencias. Só lemos o que o coração escreve, e esse é que conta. Que importa a cor da minha pele, ou se tenho ambas as pernas, ou ainda se gosto de homens ou de mulheres? Nós somos o que o nosso "coração" manda, e é isso que por aqui escrevemos.
Pelo menos eu penso assim.
Beijos.

NunoSioux disse...

Vejo que não sou o unico com a revolta no corpo hoje! Deixo-te um pouco do que escrevi:

Eu vos confesso meus amigos que só gostava de ter asas….

Não para voar sobre montanhas, mas para poder cagar em cima de gente que nada tem na cabeça. Chocante? Não me parece, seria apenas mais um pouco de merda, mas desta vez por fora!


Um dia tudo há d mudar...

Tens o meu apoio!

Beijo

butterfly disse...

Vim parar aqui não sei bem como mas fiquei presa nas tuas palavras...a verdade é que a descriminação não a sinto na pele mas sinto-a em todos os casos em que falaste,sinto e revolto-me pois em pleno século XXI é incrivel ainda existirem estes preconceitos..é inconcebivel e custa-me muito ver esta sociedade assim...

Desnuda disse...

Vi seu comments como Sam e agora como Desnuda no blog do Profeta. Não poderia deixar de ler e calar-me. Concordo em tudo com você. Sabe, aqui no Brasil conseguem a adoção sim. Mas qualquer processo de adoção é complicado e demorado. Assim sendo, sou solidária as suas preocupações, porque vivo num país onde crianças desde cedo, por falta de um lar vivem nas ruas, com vida curta pela criminalidade e vícios. Além disso, a prostituição infantil no nordeste brasileiro é muito grande, pela carência e necessidade. Se adotadas, mudaria este quadro com toda certeza. Devagar, chegamos lá. Nossos gritos têm ecos no mundo inteiro. O que não podemos é deixarmos de nos indignar sempre que houver uma violação aos direitos precípuos, e legais do ser humano .

Grande abraço fraterno.

Cláudia Pinho disse...

ola.
gostei do que escreveu. nota-se a revolta que sente e desperta também revolta em quem lê.
não consigo concordar com tudo o que diz, mas compreendo.
deve também tentar compreender aquilo que critica porque senão compreender os outros, nunca será compreendida.

.::Borboleta::. disse...

Nao consegui passar por aqui sem comentar...
Sou heterosexual, talvez ainda muito nova e so este ano me deparei com essa questao de Desigualdade e Discriminação. Nao tinha a noção de quanto magoa e como poe a parte todos aqueles que alguem intitula de diferentes... Que no fundo tem os mesmos sentimentos, sonhos e desejos de qualquer outra pessoa. E por isso cada vez vos admiro mais. Tem muito mais força e até muito mais amor/amizade que muitas pessoas que se dizem "normais".

Um beijinho*

Divinius disse...

O melhor é sorrir para isso...
:)

SILÊNCIO CULPADO disse...

Valsa Lenta
Tenho no Silêncio Culpado um prémio para ti, neste 1º.de Maio em que se comemora a luta dos trabalhadores. Este prémio, o prémio da liberdade florida, decidi reparti-lo com as mulheres que me visitam e que lutam pela justiça, pela dignidade e pelo direito à diferença.
Mulheres que constroem, sofrem e amam mas que são, acima de tudo, mulheres inteiras que "pedalam" a dobrar num mundo competitivo ainda dominado pelos homens.
Abraço

RAUL disse...

Obrigado por teres visitado o Sidadania e por teres deixado lá o teu comentário. Aparece sempre que queiras desabafar ou mesmo enviar um email pois responderei sempre.
Não és a única revoltada nem a única a ser descriminada.Eu fico revoltado quando vejo testemunhos como o teu e não consigo compreender (desculpem-me os que não estiverem de acordo)porque a própria familia rejeita um ente querido só porque tem uma preferência sexual diferente da deles. O que é que a familia queria? Que fosses infeliz, que casasses e que tivesses sexo forçado, sem prazer só para parecer bem aos olhos dos outros?
No meu caso de infectado pelo HIV, ainda posso compreender o estigma, devido ao medo cuja origem está na ignorância das pessoas, mas numa preferência sexual diferente é algo que não me entra na cabeça e que me revolta.
Será que isso te impede de amar e ser um grande ser humano? Tenho uma familiar que foi escorraçada pela própria mãe pelo mesmo motivo.Só quando ficou muito doente e presa a uma cadeira de rodas e precisou de quem tratasse dela é que compreendeu (penso eu) que a única filha que a amava profundamente e cuidou dela até à morte foi a que ela tinha escorraçado.
Continua a ser quem és e a amar e a perdoar aqueles que te rejeitam.
A verdadeira estatura de um ser humano está nos seus actos e na sua capacidade para amar o próximo.
Conta com a amizade e compreensão,de um gajo com SIDA, que não se deixa abater por todo o estigma que a doença lhe trás e se sente capaz de amar e ajudar os seus semelhantes.

ana disse...

I was thinking to myself, I would rather see a child do this part of a play:

“Why don't we have a little game?” he asks.
“Let's pretend that we're human beings, and that we're actually alive!”.

So she runs in circles...runs and runs...trying to find a way out.

A child would play it better that an adult! It would give the play all the sense, throughout the world!