sexta-feira, abril 04, 2008

À Minha Heroína


A minha Amada fez algum acto heróico?
Sim!

Esse acto heróico foi fruto de um reflexo pondo em risco a própria vida?
Não!

A minha Amada é uma heroína
Que no silêncio do seu dia
Luta, chora e ri

A minha Amada é uma heroína
Que com a sua filha
A cria, educa e brinca

Que cedo se ergue dos sonhos
Se trata cuidadosamente
E à sua menina para mais um dia

Que trabalha arduamente
E o seu corpo e mente
Cansadamente resistem

Que mais uma vez
Com a filha querida
A cuida amorosamente (banhinho, jantar, momentos de lazer)

A minha Amada é uma heroína
Que do cansaço se esquece
Para um abraço me dar

E mais um dia… e outro… e outro…

Por tudo isto é a minha muito Amada Heroína!

Sua Valsa-Lenta

5 comentários:

Maria disse...

Lindíssima declaração de amor profundo....

Um abraço

brisa de palavras disse...

Há muito que não passava por cá, mas vejo com agrado que ainda escrever e que continua feliz.

Um abraço
brisa de palavras

RV disse...

q bonita declaração, quem escreve assim sabe olhar bem,

:)

Anónimo disse...

Agradeço a visita ao Aromas de Portugal.
Gostei muito deste poema!

Saudações e um sorriso

Berta Cem Mil disse...

Valsa Lenta, obrigada pela sua visita, que agora retribuo, sentindo-me feliz por tê-la descoberto na blogosfera, pois este seu poema mostra-me que algumas afinidades existem entre os nossos corações.
Bem-haja, a sua Amada decerto se envaidece com o seu lúcido e puro amor.
Um abraço.