quinta-feira, novembro 23, 2006


A chuva bate cadenciadamente na janela
murmurando segredos de amor...
Meu corpo parou para escutar
e com ele parei o mundo...
Lentamente fechando os olhos
vejo os traços da sua face...
a sua voz
o seu toque doce e calmo...

Minha doce mulher...

Valsa Lenta

1 comentário:

Desta Janela disse...

Um beijo carmim, suave e doce... Aquele olhar azul que se estende à sua alma...

Para si minha mulher.
Amo-a muito!