segunda-feira, novembro 20, 2006


Uma vez mais admiro a ribeira que vai graciosa...
Hoje o meu atellier tem tintas espalhadas... pincéis descansando pela tela num diálogo intimista...

A si meu amor... minha doce mulher... dedico cada momento de tranquilidade e intimidade ... numa valsa de amor tão nossa.

Valsa Lenta

1 comentário:

brisa de palavras disse...

Confesso que também já espalhei tintas em telas tentando dar vida e forma a quadros...consegui! Mas desisti, sem tempo..ou por desculpas...a caixa e telas...repousam no sotão...at+e qundo...? Talvez sempre!
Gosto da simplicidade das suas palavras!
Um abraço
Brisa de palavras